4 minutes reading time (719 words)

ESTATUTO DO DESARMAMENTO - Comissão vota liberação de armas para taxistas

ESTATUTO DO DESARMAMENTO - Comissão vota liberação de armas para taxistas

Mais uma vez, em ano que antecede eleições, voltam a pauta matérias polêmicas que envolvem mudanças no “Estatuto do Desarmamento”. Na matéria de hoje, 16 de setembro de 2015, publicada no jornal “A Tribuna” as jornalista Eliane Proscholdt e Francine Spinassé, apresentam uma matéria muito bem elaborada.

Com propostas de flexibilização em alguns pontos do Estatuto do Desarmamento, deputados federais devem começar a votação amanhã de um projeto de lei que prevê, entre outras mudanças, a possibilidade de liberar armas de fogo para taxistas e caminhoneiros, dentro de seus veículos no horário de trabalho, e para agentes de trânsito.

O RELATO DE UM TAXISTA REALISTA

Taxista quer cabine blindada -  No currículo de um taxista de 39 anos, lembrança traumáticas de quem ficou sob a mira de armas e foi amordaçado em um dos quatro assaltos sofridos em 10 anos.

O pior deles foi em 2005, quando ele levava dois casais. No trajeto teve o rosto coberto por um capuz, foi amordaçado e jogado em uma mangue. Seu carro, um Vectra, foi roubado e achado depenado.

Por conta do trauma, ele se mudou para Barcelona, na Espanha, onde morou por três anos. “Lá, trabalhei como caminhoneiro, mas por conta da crise mundial de 2008, retornei.

Mesmo tendo passado sufoco, ele diz que trabalhar armado não seria a solução. “O ideal são cabines blindadas como é na Europa e em Manaus (Amazonas)”.

 Anlise 20150917 083508 1

 

 

COMPLEMENTANDO NOSSA ANÁLISE

Na realidade quando falei na questão do “Faroeste Americano” leia-se: “No período mais violento da história do faroeste americano, foi realizada uma pesquisa das cidades mais violentas em um período de 10 anos, e constataram que ocorreram 50 mortes (repito, em 10 anos), e a grande maioria envolvendo atritos dentro dos famosos “Saloons “ que assistimos em filmes que obviamente não refletem a verdade histórica e são romanceados para atrair o público, mas que infelizmente faz com que muitos acreditem que se matava a “torto e a direito” como dizia minha avó. Nesse diapasão muitos secretários de segurança Brasil afora, também acreditam nesse bons filmes, pois nunca se aprofundaram na história da policiologia mundial, não são gestores em segurança, apenas políticos com formação jurídica em sua maioria.” Não vou me alongar nesse assunto, pois já escrevi texto idêntico neste blog em matéria parecida.

Acho interessante o discurso de muitos políticos e secretários de segurança que tentam vender uma imagem de que estão criando uma nova lei, quando na realidade estão tentando, “reinventar a roda”, pois as lei brasileira no que se refere a posse e porte de arma, é a mais severa do mundo atual, e só pode ter a posse e portar armas pessoas que cumprirem todos os requisitos da Lei vigente, como treinamento em tiro, teste psicológico entre outros, por isso não abordei, mais uma vez esse assunto na matéria jornalística. O mais importante é que essa turma, até hoje, não cumpriu a vontade popular registrada no “Referendo de 2005”. Abro uma pausa para comparação. Temos acompanhado manifestações políticas onde parte da população quer a saída de políticos do governo. Os que estão no poder chamam esta parte da população de “golpistas” pois alegam que foram legalmente eleitos, é verdade, mas também podem ser retirados pela mesma Lei, preenchida os requisitos legais. Pois bem, o referendo também foi legal, teve mais votos que a atual presidente o Brasil, e eles (políticos que estão no poder) desde 2005 aplicaram um golpe na população, pois não acataram o soberano desejo e voto da população, e agora, em ano pré-eleitoral  ficam tentando “reinventar a roda” e criar leis absurdas para determinadas profissões, e a população ordeira, não consegue mais comprar armas, registrar, ou ter porte de armas para defender sua integridade física mediante ameaça, nem defender sua família e propriedade, pois todos são considerados “bandidos”, sem contar que ficam a população quando pode, fica à mercê de indústrias nacionais pois a lei proíbe ou dificulta que a população ou membros do sistema policial tenham acesso a armamento com melhor qualidade, lembre-se que estamos falando da defesa da vida. Será que nossos políticos não conseguem entender que já temos muitas leis, algumas caducas, obsoletas, é claro, mas as que aí existem, senhores e nobres políticos, bastam os senhores fiscalizarem e fazerem o executivo cumprir, com isso já avançaríamos muito na questão da segurança pública.

14
Risco de Assalto na Grande Vitória - Os 33 semáfor...
Justiça com as próprias mãos?

Posts Relacionados

 

Comentários

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Login Aqui
Visitantes
Domingo, 31 Mai 2020

Powered By Budō Creative.